Arquivo | passarelas RSS feed for this section

São Paulo Fashion Week & o cinema

18 fev

Se a temporada de inverno 2011 do Fashion Rio já tinha mostrado que o cinema e a moda podem muito bem caminhar juntos, o São Paulo Fashion Week – mesmo que de maneira mais tímida – veio para provar de vez a influência que uma área tem sob a outra.

FH por Fause Haten

FH por Fause Haten se apresentou na Bienal do Ibirapuera com uma coleção intitulada “N.A.D.A, simplicidade e essência”.  Os brilhos e o tom pesado da coleção apareciam em cada nova peça que as modelos desfilavam na passarela, em contraste com grandes perucas loiras que faziam um jogo lúdico entre branco e preto. Sem excessos, com silhuetas ora mais amplas ora mais ajustadas ao corpo, Fause Haten apostou no brilho dos cristais – que permeavam toda a coleção – para mostrar a força de suas peças. Sua apresentação, no entanto, não parou por aí. Depois que todas as modelos desfilaram e sentaram em cadeiras, a passarela foi invadida por um piano e a dança do casal de bailarinos Melissa Soares e Gustavo Lopes.
Além disso, para construir sua coleção, Fausen também se inspirou na personagem de Catherine Deneuve, Séverine, em” A Bela da Tarde”.

FH por Fause Haten inverno 2011 no SPFW

A Bela da Tarde

A “Bela da Tarde,” de 1967, conta a história de Séverine – interpretada pela linda Catherine Deneuve – uma dona de casa rica, bonita e casada com um cirurgião famoso. Contrariando sua suposta vida perfeita, a protagonista do filme se sente infeliz no casamento e passa a ter uma vida dupla onde durante as noites é a esposa recatada e, durante as tardes, a grande estrela de um bordel onde realiza seus desejos sexuais.
Do diretor Luis Buñuel, o filme é a adaptação de uma obra de Soseph Kessel.

Capa e imagem do filme "A Bela da Tarde"

A atriz Catherine Deneuve que interpreta a personagem Séverine

Anúncios

Fashion Rio inverno 2011 & o cinema

12 fev

Que o mundo do cinema e da moda sempre se cruzam por aí já sabemos, mas muitas vezes a sétima arte se torna indispensável para o universo fashion, não apenas por seus figurinos ou suas grandes estrelas, mas servindo de inspiração pra toda uma coleção.
Foi o que vimos no Fashion Rio inverno 2011, onde filmes ganharam destaque em três grandes desfiles, tendo, cada um a sua maneira, reconstruído seus enredos e seus detalhes.

Patachou Inverno 2011

A Patachou resolveu trazer para seu inverno 2011 a temática dos filmes de suspense. Suas cores apagadas, sua aura intranquila e sua obscuridade resultaram em uma cartela de cores sóbria: preto, marinho e cinza grafite. A alfaiataria veio presente em toda a coleção, em peças que brincavam com as formas sendo bem justas ao corpo, mas com pequenos volumes. Se as cartela de cores veio bem reduzida não se pode dizer o mesmo dos tecidos e técnicas que vinham nas roupas. Essas variavam entre cetins, tules, tricô, couro, jacquard…
No entanto, não era apenas na obscuridade dos tons que a coleção trazia o lado sombrio dos filmes de suspense, já que havia uma brincadeira constante com as transparências, com as misturas de formas e volumes, além do próprio jogo de luz criado pelo brilho de muitas peças.
Merece destaque o sapato da Patachou, com trançados de couro que faziam referência as treliças do filme Janela Indiscreta.

Patachou inverno 2011

Janela Indiscreta

O filme, de Alfred Hitcoch, data de 1954, tendo uma refilmagem feita em 1998. O clássico da década de 50 conta a história do fotógrafo Jeff, que depois de quebrar a perna e ficar de repouso em casa, aproveita suas horas de descanso vendo a vizinhança pelas lentes de sua tele-objetiva.  Desconfiado de que foi testemunha de um homicídio, Jeff passa a fazer de tudo para confirmar suas suspeitas e provar que há um assassino no bairro.

Cena do filme "Janela Indiscreta"

Nica Kessler Inverno 2011

Uma onda vintage, bem estilo americano dos anos 60 e 70 pairava no ar. Com os filmes “Mary Poppins” e “Ironias do amor” como pano de fundo, Nica Kessler falou sobre uma mulher “bem comportada”, mas que, ao mesmo tempo, vinha cheia de toques ultra femininos. Isso se expressava na cintura marcada, no comprimento das saias além dos joelhos e no mix de estampas , em clara referências ao lúdico de “Mary Poppins”  e a loucura engraçada da personagem Jordan, de “Ironias do amor”.
Cartela de cores: Cinza, preto, branco, azul marinho, marrom e mostarda.

Nica Kessler inverno 2011

Mary Poppins

Lançado em 1964, o filme se passa na Londres de 1910, onde Mary Poppins (Julie Andrews) vai trabalhar como babá dos filhos do banqueiro Mr. Banks, depois de inúmeras tentativas frustradas de achar alguém para o cargo. As crianças sapecas e toda a família se surpreenderão não apenas com as habilidades de Mary, mas ainda com seus poderes mágicos e sua capacidade, ao lado do amigo Bert, de trazer diversão para todos.

Ironias do amor

O filme de 2oo9 conta a história do casal Charlie (Jesse Bradford) e Jordan (Elisha Cuthbert) que, mesmo tão diferentes, se apaixonam e passam a viver uma história de amor. A comédia romântica dá uma reviravolta quando, no ápice da paixão, as diferenças entre o casal falam mais alto e ambos decidem se distanciar para poderem tentar transformar o relacionamento passageiro em algo mais sério.

"Mary Poppins" e "Ironias do Amor"

Aüslander Inverno 2011

Diferente do que costumava apresentar em suas coleções, a Aüslander trouxe para seu inverno 2011 uma pegada street wear bem mais leve, dosando-a em diferentes momentos na passarela. Dando destaque ao couro e ao sintético, a marca teve como base para sua coleção o andarilho Chris McCandless, a grande inspiração do filme Na Natureza Selvagem. Sua cartela de cores ia do vermelho até o camelo passando pelo amarelo, cinza, preto e pele, apresentando xadrezes, flanelados e moletons que se encaixavam na figura do viajante representada na coleção.

Auslander inverno 2011

Na Natureza Selvagem

O filme dirigido por Sean Penn foi lançado em 2007 e conta a história de Chris McCandless, um jovem de 21 anos recém-formado da faculdade que decide sair do conforto de sua casa nos EUA e partir para uma empreitada no Alasca. Acompanhado apenas pela natureza, as provações passadas em sua nova vida são relatadas ao longo do filme, inspirado na obra homônima de Jon Krakauer.

"Na Natureza Selvagem", filme de Sean Penn

Desfile inaugura sexta edição de revista de moda do Bom Dia

14 out

O mês de Outubro já começou badalado no quesito moda e estilo em Bauru. Após o sucesso do Bauru Colection em setembro, o jornal Bom Dia de Bauru promoveu um desfile beneficente no dia quatro de outubro para apresentar a edição primavera-verão da revista de moda do jornal.

O evento aconteceu no Comiato Buffet e apresentou uma maratona de looks. Lojas de Bauru mostraram as tendências do início de 2011 de modelos conceituais em uma passarela luxuosa, com plantas e luminárias.

Cintos estreitos marcaram a cintura, bolsas com alças de corrente apareceram em tons pastéis, em tons vibrantes e até em forma de coração. Os sapatos estão ainda mais democráticos, scarpins tradicionais, com saltos altíssimo, salto Sabrina, meia pata, sandálias fechadas ou com tirinhas, e as confortáveis rasteirinhas. As cores dos sapatos também estão diversificadas, do já tradicional nude às cores flúor e vibrantes.

As cores também são uma atração a parte nas roupas, que trouxeram estampas geométricas e abstratas ao lado de florais, poás, corações e até o xadrez que foi companhia no inverno. As estampas não se limitam as roupas e acompanham muito bem as bolsas que além das cores puras apareceram com retalhos, listras e desenhos geométricos. As combinações foram do clean ao ousado. Muitos looks uniram roupas em cores neutras com maxi acessórios coloridos.

Decotes assimétricos, tomara-que-caia e alcinhas são a cara do verão. Os laços continuam presentes como detalhes ou em destaque, não só em blusas, saias e vestidos como em sapatos e bolsas. Os comprimentos variam do micro ao mini com extra longos como alternativa. As combinações permitem uma mistura disso, vários looks usaram microshorts com maxiblusas.

A revista de moda do Bom Dia já está na sua sexta edição, com duas publicações por ano, de outono-inverno e de primavera-verão e o desfile de lançamento já acontece desde a terceira edição. A maior novidade dessa revista é a entrevista com o estilista Walter Rodrigues, que esteve em Bauru recentemente.

A coordenadora da revista há quatro edições, Luli Zonta, comentou sobre as tendências que essa edição traz para os leitores. “A gente fez uma coisa bem verão, trabalhou com o foco no azul, que é a grande cor da estação. O azul com toda influência de Avatar e tudo mais, com as tranças todas. Então, a gente trabalha com o azul e vai num degradê até o branco. Trabalha com o nude que é outra tendência, os florais, o verão vai estar bem fresquinho, bem alegre.” Luli também coordena a edição anual da revista de moda de Noivas do Bom Dia, que já está na sua quinta edição, e cobre o São Paulo Fashion Week para o jornal.

Caroline Bittencourt

A produtora de moda Paula Casério também falou da organização do desfile e da revista primavera-verão e disse não haver uma temática fixa, como explica. “Na verdade é assim: esse negocio de tendência quem dita é o São Paulo Fashion Week, a gente só vende, né. Não adianta a gente querer vender tendência aqui. Tem que desfilar o que a loja quer vender. Comercial mesmo, cada loja tem um tema, cada loja gosta de desfilar um produto e eu aceito porque é o que eles tem que vender.” Paula já participa da produção há cinco edições e conta que as lojas são escolhidas pelo próprio Bom Dia.

A escolha das músicas ficou por conta de Malu Ornelas, que também fez o casting das modelos do desfile e é fotografa dessa edição da revista. Malu diz que usou músicas baseada nos principais desfiles internacionais e nacionais, mas não deixou de considerar o gosto de quem não é especialista em moda.

A maquiagem foi feita pela premiada maquiadora Maria Pia, que mesmo em um look clean conseguiu mostrar as apostas de maquiagem e cabelo da próxima estação.

Desfile no Urbano Pub

14 out

Na mesma semana do desfile do jornal Bom Dia, no dia 6 de outubro, no Urbano Pub, foi fechado o ciclo de desfiles da cidade.

O evento também uniu moda e ação social, a entrada era um brinquedo que foi doado para a Associação Bauru pela diversidade que repassou para entidades sociais no dia das crianças. A organização foi dos empresários Rick Ferreira e Markinho Souza, do Urbano Pub em parceria com alunos do 4º ano de relações públicas da usc e a AEXP, Agência Experimental de Relações Públicas.

O desfile contou com looks bem coloridos das lojas Meiri Calçados, Spazio Presentes, Verano 26 e Urban Shop. A decoração infantil foi da art modelagem e no encerramento o público contou com uma apresentação das drag queens Rubya Bittencourt e Ravena.

Modelos plus size na Semana de Moda de Nova Iorque

18 set

Foto: Revista TPM

Entre os dias 9 e 16 de setembro, aconteceu a Semana de Moda de Nova Iorque. Pela primeira vez durante o evento, aconteceram desfiles de modelos gordinhas, as chamadas plus size. Segundo os organizadores, o objetivo era mostrar que as mulheres mais cheinhas também estão na moda e devem ser cortejadas pelos estilistas.

A jornalista Pamela Nunes, do blog “Grandes Mulheres”, aplaudiu a iniciativa, e acha importante que a moda plus size esteja sendo discutida durante uma das principais semanas de moda do mundo. “Eu acredito muito que a moda é democrática, é a indústria da moda perceber que a moda é democrática, porque parece que não existe esse conhecimento.”, comenta ela.

Mas nem todos compartilham dessa idéia. Alguns críticos afirmam que os desfiles de modelos gordinhas podem ser estímulos à obesidade e ainda garantem que modelos muito magras não estimulam bons hábitos, mas as tops cheinhas poderiam criar a sensação de que a obesidade é saudável.

A blogueira Paula Bastos, companheira de Pamela no “Grandes Mulheres”, discorda totalmente desses argumentos e garante que o problema é a visão que a sociedade tem dos mais cheinhos. “O gordo vem com uma conotação toda negativa. Quando você pensa em gordo, você pensa em lento, preguiçoso, desprovido de vontade, feio… Então assim, o que acontece: eles não conseguem entender que uma pessoa que é gorda pode sim ser saudável.”, afirma Paula.

O movimento plus size é recente, mas vem crescendo. Em 2007, a jovem de 20 anos, Whitney Thompson, foi a primeira modelo acima do peso a vencer o America’s Next Top Model.

Mas, como definir as modelos plus size? Segundo Pamela, as modelos cheinhas que desfilam em passarela normalmente têm manequim 42. Essas modelos não poderiam ser chamadas de plus size, pois vestem o número considerado normal para as mulheres padrão.

As modelos plus size possuem manequim igual ou maior que 46, são mais comuns em comerciais e propagandas, e não freqüentam passarelas.

Ainda de acordo com as blogueiras, a moda plus size no Brasil ainda está muito devagar. “No geral, as marcas que eu vi [no Fashion Weekend Plus Size] fazem roupas ainda muito naquela coisa de ‘gordo tem que usar roupas largas, sem estrutura, com estampas antiquadas’, uma moda bem antiquada, não tem criação, é uma reprodução de uma moda que na verdade não é moda, falta muita informação de moda.”, lamenta Pamela.

Algumas empresas da moda estão notando o público plus size devido ao seu grande potencial de compra. Certas marcas já estão ligadas no público plus size, como o estilistas Edson Eddel, que trabalha com grifes e vestidos de noiva, e Ana Lisboa, com produtos moda praia e lingerie.

“Acho importante que a indústria da moda enxergue essas pessoas, que não são magras, que estão acima do peso, também consomem, também precisam de roupas e também são vaidosas.”, afirma Paula.

No exterior, marcas que trabalham com modelos de números maiores são mais comuns e muito mais desenvolvidas no assunto. A americana Torrid e a européia Evans são exemplos de marcas queridas pelas gordinhas.movimento plus size é recente, mas vem crescendo.

E já tem vídeo do desfile da OneStopPlus, na NYFW, disponível na internet:

por Regiane Folter